Sociologia Econômica e Competitividade em Cooperativas Agropecuárias Centralizadas

  • Gustavo Leonardo Simão Universidade Federal de Lavras
  • Luiz Marcelo Antonialli Universidade Federal de Lavras
  • Alex dos Santos Macedo Universidade Federal de Viçosa
  • Antônio Carlos dos Santos Universidade Federal de Lavras
Palavras-chave: Cooperativismo, Epistemologia, Gestão

Resumo

A gestão de empreendimentos cooperativos centralizados do setor agropecuário é marcada por grande complexidade. No presente trabalho, de natureza teórica, visou-se a discorrer, à luz das três correntes epistemológicas da Sociologia Econômica – Redes, Institucionalismo em sua vertente econômica e Teoria dos Campos –, a forma pela qual poderia se compreender a busca pela competitividade em cooperativas agropecuárias de segundo grau. A análise apegou-se na extrapoção de cada dos condicionantes constitutivos das bases epistemológicas da Sociologia Econômica. Enquanto a perspectiva das Redes garantiria a viabilidade econômica do negócio, por meio do adensamento do capital social, o Institucionalismo conformaria uma formalização contratual para a redução dos custos de transação, e a perspectiva dos Campos atuaria na constituição de um poder simbólico resultante de uma habilidade estratégica do agente sob a estrutura. Concluí-se que a perspectiva pela qual a ação social resulta em resultados econômicos às cooperativas agropecuárias centralizadas, é passível de ser analisada sob três enfoques teóricos em que a cada um haverá fatores intervenientes distintos, tanto ao problema quanto em relação à compreensão dos resultados.
Publicado
27-11-2019
Como Citar
SIMÃO, G.; ANTONIALLI, L.; MACEDO, A.; SANTOS, A. Sociologia Econômica e Competitividade em Cooperativas Agropecuárias Centralizadas. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 20, n. 2, 27 nov. 2019.