ANÁLISE CUSTO-BENEFÍCIO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM CULTURAS DE SOJA NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL

Autores

  • Denise Wochner Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Régio Márcio Toesca Gimenes Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • José Fernando Jurca Grigolli Fundação MS
  • Maycon Ulisses Saraiva Farinha Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Luciana Virginia Mário Bernardo Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNOESTE)
  • Clandio Favarini Ruviaro Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Palavras-chave:

Controle Biológico, Custo Ambiental, Gestão Sustentável, Produção Colheita, Agronegócio

Resumo

A soja é a commodity agrícola mais comercializada no mundo e o principal produto agrícola exportado pelo Brasil. O estudo foi realizado na região Centro-Oeste do Brasil, durante a safra 2018/2019. Comparou-se o manejo convencional de pragas realizado pelo produtor rural e o manejo integrado de pragas com controle biológico realizado pela Fundação MS. Após a coleta de dados, foram calculados os custos operacionais para ambos os manejos e posteriormente realizado um custo ambiental e uma análise custo-benefício da aplicação de defensivos químicos. Foi utilizado um modelo adaptado
de custo ambiental e análise de custo-benefício. Os resultados mostram a viabilidade econômica da adoção do controle
biológico em uma das áreas testadas. Isso ocorreu devido à maior quantidade de aplicações de agrotóxicos pelo agricultor
no manejo convencional, mostrando a importância de analisar o custo ambiental dos agrotóxicos e evitar produtos que
tenham alto impacto em indivíduos não-alvo.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

WOCHNER, D.; GIMENES, R. M. T. .; GRIGOLLI, J. F. J. .; FARINHA, M. U. S.; BERNARDO , L. V. M. .; RUVIARO, C. F. ANÁLISE CUSTO-BENEFÍCIO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM CULTURAS DE SOJA NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 24, p. e1887, 2022. Disponível em: http://www.revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1887. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Sistemas agroindustriais e sustentabilidade