CRIAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE VALOR NA CADEIA DE CAFÉS ESPECIAIS: UM ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE AGENTES DO PARANÁ, BRASIL E DA EUROPA

Autores

  • Amanda Ferreira Guimarães Universidade Estadual de Maringá
  • Sandra Mara de Alencar Schiavi Universidade Estadual de Maringá
  • Melise Dantas Machado Bouroullec École d’Ingénieurs de PURPAN
  • Jaiane Aparecida Pereira Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Palavras-chave:

Atributos de qualidade, Informação assimétrica, Custos de transação, Análise de governança, Contratos relacionais

Resumo

Objetivou-se compreender como se organizam as transações da cadeia de valor dos cafés especiais entre os agentes no Paraná, Brasil e na Europa, com foco nas características da transação e mensuração para criação e distribuição de valor. Foram realizadas 26 entrevistas semiestruturadas com membros da cadeia de valor global de cafés especiais envolvendo o Estado do Paraná, Brasil, e quatro países europeus. Como resultado, esta é uma cadeia complexa, heterogênea e não linear. O que é transacionado é um conjunto de atributos de valor intrínsecos e extrínsecos. Além dos atributos físicos, sensoriais, de produção socialmente sustentável, sociais e regionais, identificamos a agradabilidade e a padronização do produto como atributos considerados nas transações. Esses atributos mudam ao longo da cadeia e são medidos de forma diferente pelos agentes, podendo criar desequilíbrios de mensuração ao longo da cadeia. A não mensuração por agentes tais como torrefadores e cafeterias, compromete a transmissão de informações por serem estes os primeiros agentes a identificar o valor na cadeia. Tais desequilíbrios poderiam ser identificados pela observação do conjunto de transações da cadeia como um todo em detrimento de uma transação isolada. Como contribuição empírica discutimos que ao expor quais atributos são considerados um valor para cada transação, as instituições públicas e privadas podem desenvolver mecanismos de avaliação de qualidade mais
objetivos. Teoricamente, defendemos que para entender a eficiência em cadeias globais de valor é necessário analisar
o conjunto de transações que compõem toda a cadeia e não
apenas a análise de transações diádicas entre dois elos.

Biografia do Autor

Sandra Mara de Alencar Schiavi, Universidade Estadual de Maringá

Economista pela UNESP (1998) e doutora em Engenharia de Produção pela UFSCar (2007), com doutorado sanduiche no ENITIAA / Université de Nantes (França) e Pós Doutorado na Kansas State University - Department of Agricultural Economics (2016). Professora do Departamento de Administração da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e docente dos Programas de Pós-Graduação em Administração (PPA / UEM) e em Economia (PCE/ UEM). Líder do Grupo de Estudos em Estruturas Coordenadas (GECOR), tem experiência nas áreas de Economia e Administração, com ênfase em Coordenação de Cadeias Produtivas e Agronegócio. Atualmente é Pró-Reitora da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional na Universidade Estadual de Maringá (PLD/ UEM).

Melise Dantas Machado Bouroullec, École d’Ingénieurs de PURPAN

Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2002), mestrado (2004) e doutorado (2010) em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos (2010). Ela leciona marketing de cadeias agroalimentares na INP-Ecole d'Ingénieurs de PURPAN, em Toulouse-França e realiza pesquisas sobre as transições e transformações do mecanismo de governança dos canais de comercialização coletiva.

Jaiane Aparecida Pereira, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Doutora em Administração pela UEM - Universidade Estadual de Maringá (2019). Mestre em Administração pela UEM (2011). Graduação em Administração com habilitação em Administração Pública (2002) e Especialização em Gestão Financeira e Contábil (2005) pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) - FECEA Apucarana. Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) - Campus de Naviraí (CPNV). Líder do Núcleo de Pesquisa em Gestão, Desenvolvimento e Inovação (NGDI). Trabalhou em empresas públicas e privadas por 14 anos. Atua na docência desde 2007. Possui experiência no ensino presencial e a distância (EAD). Principais áreas de interesse: Estratégia, Desenvolvimento, Produção e Agronegócio.

Downloads

Publicado

2022-07-14

Como Citar

GUIMARÃES, A. F. .; SCHIAVI, S. M. de A. .; BOUROULLEC, M. D. M. .; PEREIRA, J. A. CRIAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE VALOR NA CADEIA DE CAFÉS ESPECIAIS: UM ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE AGENTES DO PARANÁ, BRASIL E DA EUROPA. Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 24, p. e1842, 2022. Disponível em: http://www.revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/1842. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Sistemas agroindustriais e sustentabilidade