ARRANJO SOCIOPRODUTIVO DE BASE COMUNITÁRIA (APL.Com): UM PROJETO PILOTO NA COMUNIDADE DO ENTORNO DA MICROBACIA DO RIO SAGRADO (MORRETES/PR)

Autores

  • Carlos Alberto Cioce Sampaio Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Flávia Keller Alves Fundação Universidade Regional de Blumenau

Palavras-chave:

Arranjo socioprodutivo de base comunitária (APL.Com), comércio justo, microbacia hidrográfica do Rio Sagrado

Resumo

Arranjo Socioprodutivo de Base Comunitária (APL.Com) é uma denominação restrita na literatura. É uma rede de esforços socioprodutivos e institucionais, qualificados como participativos e associativos, no qual predomina o reconhecimento do território e se valoriza o conhecimento tradicional-comunitário. O objetivo geral é consolidar um construto teórico denominado Arranjo Socioprodutivo de Base Comunitária (APL.Com) e, ao mesmo tempo, fomentar um projeto piloto na Microbacia do Rio Sagrado, em Morretes –Paraná- a partir da produção e comercialização de artesanato e produtos agroindustrializados. Para tanto, realizou-se um diagnóstico da comunidade local e propuseram-se ações para reorganização da Associação Comunitária Candonga de modo a configurar a matriz do arranjo e, ainda, a configuração de um APL.Com.. Os dados foram obtidos através de reuniões, visitas, vivências, encontros e entrevistas estruturadas. Como principais resultados, identificaram-se socioempreendimentos da localidade que podem compor o arranjo e os dados obtidos através do diagnóstico refletem a realidade socioeconômica da localidade. Por fim, a prospecção de um APL.Com, para a Micro Bacia do Rio Sagrado suporta um construto teórico a respeito do tema a partir de uma experiência em curso.

Downloads

Publicado

2013-08-13

Como Citar

SAMPAIO, C. A. C.; ALVES, F. K. ARRANJO SOCIOPRODUTIVO DE BASE COMUNITÁRIA (APL.Com): UM PROJETO PILOTO NA COMUNIDADE DO ENTORNO DA MICROBACIA DO RIO SAGRADO (MORRETES/PR). Organizações Rurais & Agroindustriais, [S. l.], v. 15, n. 1, 2013. Disponível em: http://www.revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/645. Acesso em: 2 abr. 2023.

Edição

Seção

Artigos